Vextrom
  • English
  • Português
+55 11 3672-0506 / / Trabalhe Conosco

Notícias

  • 16 de maio de 2017

Primeiro Encontro Anual sobre Atmosferas Explosivas do Subcomitê SC IECEx BR do Cobei

 

Por Roberval Bulgarelli

Encontro “Ex” do Subcomitê IECEx BR do Cobei teve como foco a necessidade de segurança ao longo do ciclo total de vida das instalações contendo atmosferas explosivas.

 

Foi realizado, no dia 03/05/2017, no Auditório do Senai de Mauá (SP), o 1º Encontro Anual sobre Atmosferas Explosivas do Subcomitê SC IECEx BR do Cobei.

O IECEx é o sistema internacional da IEC que elabora sistemas de certificação para atmosferas explosivas sob o ponto de vista do ciclo total de vida das instalações “Ex”. O IECEx é formado por 33 países, incluindo o Brasil. O Brasil, como país membro do IECEx, é representado pelo Cobei – Comitê Brasileiro de Eletricidade, Eletrônica, Iluminação e Telecomunicações. O Cobei representa o Brasil perante o IECEx, atuando como Brazilian National Committee for the IECEx Member Body.

O IECEx possui sistemas de certificação para competências pessoais “Ex”, para a certificação de empresas de prestação de serviços “Ex” e para a certificação de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”. É uma entidade sem fins lucrativos que opera dentro da abordagem de reconhecimento por pares, possuindo organismos de certificação “Ex” e Laboratórios “Ex” acreditados pelos seus “pares” (Peer Assessment) ou seja, as atividades de auditorias e de aceitação dos novos organismos de certificação “Ex” e de laboratórios “Ex” que se inscreveram para ingressar neste Sistema “Ex” da IEC são realizadas por organismos e laboratórios já reconhecidos dentro do Sistema IECEx.

Dentre as principais características do IECEx pode ser citada a utilização unicamente de normas internacionais da IEC ou da ISO, tais como Normas das Séries ISO 9000 (Sistemas de Gestão da Qualidade), ISO 17000 (Avaliação da Conformidade), IEC 60079 (Equipamentos e instalações elétricas em atmosferas explosivas) e ISO/IEC 80079 (Equipamentos mecânicos para atmosferas explosivas).

Outra característica fundamental do Sistema IECEx é a obrigatoriedade de que um Certificado de Conformidade, seja para Competências Pessoais “Ex” ou Empresas de Prestação de Serviços “Ex” ou para Equipamentos elétricos ou mecânicos “Ex” seja emitido por uma terceira parte, representado por um Organismo de Certificação “Ex” reconhecido dentro do IECEx.

O IECEx possui também um sistema de Reconhecimento de Provedores de Treinamentos “Ex”, os quais tenham evidenciado que possuem uma estrutura de gestão, de instrutores e de conteúdo de treinamentos que atendem aos requisitos estabelecidos pelo IECEx e nas Normas da Série IEC 60079.

Todos os certificados de conformidade “Ex” emitidos dentro do IECEx estão disponíveis para acesso público no sistema de certificação “on-line” do IECEx. Maiores informações sobre o Sistema IECEx, incluindo países membros, objetivos, Regras de Procedimentos, Guias de Orientações e Documentos Operacionais para os sistemas internacionais de Certificação “Ex” estão disponíveis em http://www.iecex.com/index.htm

O Brasil é um país membro do IECEx desde 2009, participando ativamente da elaboração e do aperfeiçoamento dos sistemas de certificação “Ex” do IECEx, possuindo Organismos de Certificação reconhecidos pelo IECEx nas áreas de equipamentos “Ex” e de competências pessoais “Ex”. O Subcomitê SC IECEx BR do Cobei foi constituído em 2008 e conta com a participação de empresas, entidades, associações e pessoas envolvidas com a segurança ao longo do ciclo total de vida das instalações “Ex”.

Participam das reuniões do SC IECEx BR do Cobei: fabricantes de equipamentos elétricos e eletrônicos “Ex”, Organismos de Certificação de Equipamentos “Ex”, Organismos de Certificação de Competências Pessoais “Ex”, Provedores de Treinamentos “Ex”, Empresas usuárias de equipamentos e instalações “Ex”, nas áreas de petróleo e petroquímica.

Este Subcomitê SC IECEx BR do Cobei se reúne mensalmente desde 2008 para analisar e comentar os documentos operacionais e regras de procedimentos dos sistemas de certificação do IECEx, bem como analisar os relatórios de auditorias de novos Organismos de Certificação ou Laboratórios que se inscreveram para reconhecimento e aceitação no IECEx.

O SC IECEx BR do Cobei trabalha também no sentido de divulgar os sistemas de certificação “Ex” do IECEx no Brasil, por meio, por exemplo, de Encontros Anuais “Ex” como este realizado no Senai/Mauá. Dentre os objetivos destes Encontros Anuais “Ex” do SC IECEx BR do Cobei pode ser destacado proporcionar ao público interessado uma oportunidade de informação e de atualização sobre este importante assunto “Ex”, obtendo as informações básicas sobre o panorama geral das instalações envolvendo atmosferas explosivas e da necessidade de treinamentos, qualificação e certificação das competências pessoais para a realização de atividades em áreas classificadas.

Estão convidados a participar destes Encontros Anuais “Ex” do SC IECEx BR do Cobei profissionais que atuam nas seguintes áreas:

  • Estudantes e professores em áreas tais como eletricidade, instrumentação, automação, segurança, processo, química, mecânica e operação
  • Usuários de equipamentos e instalações de equipamentos elétricos, eletrônicos, de instrumentação, de telecomunicações e mecânicos “Ex”
  • Executantes, supervisores, técnicos e engenheiros envolvidos com atividades de projeto, montagem, inspeção, manutenção, reparos e auditorias em áreas classificadas
  • Empresas de prestação de serviços de classificação de áreas, projeto, montagem, inspeção e manutenção de instalações “Ex”
  • Empresas de prestação de serviços de reparo, revisão e recuperação de equipamentos elétricos e eletrônicos “Ex”
  • Provedores de Treinamentos “Ex”
  • Empresas de Consultoria sobre instalações “Ex”
  • Organismos de Certificação de Pessoas
  • Organismos de Certificação de Produtos
  • Fabricantes de equipamentos elétricos, eletrônicos, de instrumentação, de automação, de telecomunicações “Ex”
  • Fabricantes de equipamentos mecânicos “Ex”
  • Organismos Governamentais e Associações (ANP, INMETRO, MTE, SENAI, CIESP, ABRAC, ABIQUIM, ABINEE, ABIMAQ, ABENDI, ABRAMAN)
  • Laboratórios de ensaios de equipamentos “Ex”
  • Representantes comerciais de equipamentos “Ex”
  • Empresas de seguros de instalações industriais “Ex”
  • Representantes de Revistas Técnicas sobre Eletricidade, Química e Petroquímica

Este primeiro encontro anual “Ex” do Subcomitê SC IECEx BR do Cobei contou com a apresentação das seguintes palestras:

  • Palestra 1: A visão do usuário sobre a segurança durante o ciclo total de vida das instalações “Ex” – Roberval Bulgarelli / Petrobras
  • Palestra 2: O sistema internacional do IECEx sobre certificação de competências pessoais em atmosferas explosivas – Eduardo Galera / UL do Brasil
  • Palestra 3: O sistema internacional do IECEx para a certificação de empresas de prestação de serviços “Ex” – Wilson Bonato / NCC Certificações do Brasil e Roberval Bulgarelli / Petrobras
  • Palestra 4: O sistema internacional do IECEx para a certificação de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex” – Giovanni Hummel / UL do Brasil
  • Palestra 5: Estudo de caso comparativo de certificação nacional, estrangeira e internacional IECEx de equipamentos elétricos “Ex” – Giovanni Hummel / UL do Brasil.

Este encontro anual “Ex” contou também com uma mesa redonda intitulada “O ciclo total de vida das instalações em atmosferas explosivas”, onde foram respondidas as perguntas feitas pelos participantes, bem como esclarecimento gerais de informações envolvendo o tema “Ex”.

Após a mesa redonda os participantes tiveram a oportunidade de conhecer as instalações dos Laboratórios de Instalações Elétricas e de Instrumentação “Ex” do Senai de Mauá, o qual conta com oito “baias” de treinamentos teóricos e práticos sobre as atividades de seleção de equipamentos, montagem, inspeção, manutenção e reparo de equipamentos “Ex”.

O Senai/Mauá também oferece treinamentos teóricos e práticos sobre equipamentos e atividades relacionadas com as instalações elétricas e de instrumentação em atmosferas explosivas (montagem, inspeção, manutenção e reparos), tendo como base as Unidades de Competências Pessoais “Ex” indicadas no Documento Operacional IECEx OD 504 (Unidades de Certificação Ex 000 a Ex 010).

 

  • 6 de abril de 2017

Reunião do TC 31 da IEC em Sydney

Por Roberval Bulgarelli
Consultor técnico e engenheiro sênior da Petrobras. É representante do Brasil no TC-31 da IEC e no IECEx e coordenador do Subcomitê SC-31 do Comitê Brasileiro de Eletricidade (Cobei). Condecorado pela IEC com o Prêmio IEC 1906 Award.

Prezados colegas envolvidos com instalações elétricas e mecânicas em atmosferas explosivas,

Foram realizadas entre os dias 12 e 22/03/2017, na cidade de Sydney, na Austrália, as reuniões do Comitê Técnico TC 31 (Equipment for explosive atmospheres) da IEC (International Electrotechnical Commission) sobre Normas Técnicas internacionais relacionadas com equipamentos e instalações em atmosferas explosiva.

Estas reuniões do TC 31 da IEC contaram com a presença de mais de 100 especialistas em atmosferas explosivas provenientes de 30 países.

Foram discutidos nestas reuniões diversos assuntos referentes à atualização de diversas normas técnicas internacionais das séries IEC 60079 & ISO/IEC 80079 – Atmosferas explosivas, nas quais são baseadas as respectivas Normas Técnicas Brasileiras equivalentes das Séries NBR IEC 60079 & NBR ISO/IEC 80079, publicadas pela ABNT.

Estiveram reunidos em Sydney, dentre outros, os Grupos de Trabalho (WG – Work Groups) e Equipes de Manutenção (MT – Maintenance Teams) para a revisão das seguintes normas técnicas “Ex”:

• MT IEC 60079-10-1 – Classificação de áreas contendo gases inflamáveis
• MT IEC 60079-11 – Equipamentos intrinsecamente seguros com tipo de proteção Ex “i”
• MT IEC 60079-14 – Seleção de equipamentos, projeto, montagens e inspeções iniciais “Ex”
• MT IEC 60079-15 – Equipamentos não centelhantes com tipo de proteção Ex “n”
• MT IEC 60079-25 – Sistemas intrinsecamente seguros Ex “i”
• MT IEC 60079-29 – Detectores para gases em atmosferas explosivas
• MT IEC 60079-31 – Equipamentos para poeiras combustíveis com tipo de proteção Ex “t”
• MT IEC 80079-34 – Requisitos de sistema de gestão da qualidade para fabricantes de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”
• WG 27 – Máquinas elétricas girantes “Ex”
• WG 22 – IEC 60079-0 – Requisitos gerais para equipamentos “Ex” e IEC 60050-426 – Vocabulário “Ex”
• WG 32 – Distâncias de isolação e de escoamento para equipamentos “Ex”
• Reunião dos Coordenadores dos Grupos de Trabalho e das Equipes de Manutenção (CAG – Chairman’s Advisory Group)

Os especialistas em atmosferas explosivas presentes nestas reuniões representam empresas de prestação de serviços “Ex”, Provedores de Treinamentos “Ex”, Laboratórios de Ensaios de equipamentos “Ex”, fabricantes de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”, Organismos de Certificação de Equipamentos, Serviços e Pessoas “Ex” e usuários de equipamentos e instalações “Ex” dos setores químico, petroquímico e de petróleo (marítimo e terrestre).

A posição de destaque do Brasil como membro “P” (Participante) do TC-31 da IEC proporciona ao Subcomitê SC-31 do COBEI a participação ativa no processo de elaboração, comentários e aprovação das Normas Técnicas Internacionais sobre equipamentos e instalações “Ex”. 

Além disso, tal participação permite o acompanhamento da evolução e do estado da arte das normas sobre o assunto “Ex”, propiciando o norteamento da elaboração e adoção das respectivas Normas Técnicas Brasileiras publicadas pela ABNT e contribuindo para a qualificação dos profissionais e empresas brasileiras envolvidas.

A existência de Normas Brasileiras equivalentes das Séries ABNT NBR IEC 60079 & ABNT NBR IEC 80079, elaboradas pelo COBEI, harmonizadas com as respectivas Normas Técnicas internacionais da IEC contribuem para a padronização de procedimentos de projeto, instalação, inspeção, manutenção e reparos de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”, aplicadas pelas empresas brasileiras que possuem instalações em áreas classificadas. 

Torna-se cada vez mais evidente que a existência de somente um sistema de certificação de equipamentos “Ex”, aplicado no Brasil desde 1991, não é suficiente para garantir a segurança das instalações industriais “Ex” e das pessoas que trabalham em áreas classificadas. 

Na realidade, de pouco adianta que os equipamentos “Ex” tenham sido certificados, se os mesmos não são devidamente instalados, inspecionados, mantidos ou reparados ao longo do seu ciclo total de vida em que permanecem instalados em áreas classificadas, expostos ao risco presença de atmosferas explosivas.

As empresas, entidades, associações, organismos de certificação e provedores de treinamentos brasileiros envolvidos nas atividades de classificação de áreas, projeto, seleção, fabricação, ensaios, certificação, instalação, inspeção e reparo de equipamentos e instalações “Ex” necessitam estar devidamente estruturadas, qualificadas e certificadas para atender aos crescentes e cada vez mais rigorosos requisitos normativos, investindo em recursos materiais e humanos para acompanhar a evolução das normas técnicas da série IEC 60079 para equipamentos elétricos e da série ISO/IEC 80079 para equipamentos mecânicos “Ex”, bem como os respectivos sistemas de certificação de empresas de prestação de serviços “Ex” e de competências pessoais do IECEx.

A existência destas Normas Técnicas Brasileiras adotadas pela ABNT sem desvios técnicos em relação às Normas Internacionais da IEC colabora também para que as empresas nacionais prestadoras destes serviços “Ex” (incluindo as empresas projetistas, de montagem, empresas de inspeção e oficinas de serviços de reparos de equipamentos “Ex”) estejam alinhadas com os requisitos internacionais de qualidade e segurança, estabelecidos pelos sistemas internacionais de certificação para atmosferas explosivas elaborados pelo IECExhttp://www.iecex.org

Maiores informações sobre o estágio atual de evolução e atualização das Normas Técnicas internacionais (IEC) e brasileiras (ABNT NBR IEC) sobre atmosferas explosivas bem como dos processos de certificação internacional do IECEx abrangendo empresas de prestação de serviços de projeto, montagem, inspeção e reparos “Ex”, competências pessoais para atmosferas explosivas e equipamentos “Ex” podem ser obtidas no website do Subcomitê SC-31 do COBEIhttp://cobei-sc-31-atmosferas-explosivas.blogspot.com/

  • 8 de março de 2017

Nova Norma Petrobras N-2918 – EX – Classificação de Áreas

Por Roberval Bulgarelli
Consultor técnico e engenheiro sênior da Petrobras. É representante do Brasil no TC-31 da IEC e no IECEx e coordenador do Subcomitê SC-31 do Comitê Brasileiro de Eletricidade (Cobei). Condecorado pela IEC com o Prêmio IEC 1906 Award.

Prezados colegas envolvidos com classificação de áreas contendo atmosferas explosivas.

Foi publicada em 03/02/2017 a nova Norma Petrobras N-2918 – Atmosferas explosivas – Classificação de áreas.

Esta Norma fixa os requisitos mínimos necessários para a elaboração de estudos de classificação de áreas em instalações marítimas e terrestres. Estes requisitos são aplicáveis, para utilização em todas as instalações do Sistema PETROBRAS, onde gases e líquidos inflamáveis, Líquidos Altamente Voláteis (LAV) ou poeiras combustíveis são produzidos, processados, manuseados, armazenados, transportados e submetidos a operações de carregamento e descarregamento.

Esta Norma refere-se a estudos de classificação de áreas, que têm como uma das principais finalidades as atividades de seleção, especificação e aplicação dos equipamentos, dispositivos e materiais elétricos, de instrumentação, eletrônicos, de telecomunicações e mecânicos “Ex”, em atmosferas de gases e vapores inflamáveis ou de poeiras combustíveis.

Os estudos de classificação de áreas a serem elaborados de acordo com os requisitos indicados nesta Norma são também aplicáveis, entre outras, para as atividades de avaliações de risco, emissão de permissões de trabalho, montagem, inspeções e manutenção de instalações elétricas, de instrumentação e mecânicas em áreas classificadas. 

Esta Norma abrange instalações com equipamentos de processo de diferentes magnitudes relativas de risco, em termos de vazão, pressão e volume das substâncias inflamáveis ou combustíveis processadas.

Esta Norma foi elaborada por um Grupo de Trabalho multidisciplinar da Subcomissão SC-06 da CONTEC, com a participação de profissionais envolvidos com o tema de classificação de áreas, representantes de diversos departamentos da Companhia e de diversas especialidades, incluindo segurança industrial, processo e eletricidade.

Esta nova Norma Petrobras N-2918 representa uma consolidação das experiências existentes na Companhia nesta área de especialidade relacionada com atmosferas explosivas, as quais vêm sendo desenvolvidas desde a década de 1950. 

Como pontos de destaque desta nova Norma Técnica Petrobras podem ser destacados os seguintes:

  • Inclusão de requisitos de classificação de áreas contendo gases inflamáveis e poeiras combustíveis, presentes nos processos produtivos da Petrobras;
  • Compilação em uma única norma dos requisitos de classificação de áreas de instalações terrestres marítimas;
  • Citação de 23 documentos de referência, incluindo Normas Técnicas Petrobras, Brasileiras. Internacionais, estrangeiras e práticas recomendadas;
  • Especificação das extensões de áreas classificadas, de acordo com os tipos de equipamentos, produtos e processos envolvidos;
  • Requisitos de Gestão das Mudanças aplicáveis sobre a documentação de classificação de áreas;
  • Recomendação de que os profissionais envolvidos na execução das atividades de classificação de áreas possuam os conhecimentos, experiências e competências indicadas na Unidade Ex 002 – Elaboração de classificação de áreas, do Documento Operacional IECEx OD 504;
  • Considerações sobre os níveis de proteção de equipamentos (EPL – Equipment Protection Level) a serem especificados, de acordo com os requisitos de Zonas do local da instalação (Zonas 0, 1, 2, 20, 21 ou 22);
  • Apresentação de figuras de referência para classificação das áreas de exploração e produção (“Upstream”);
  • Apresentação de figuras de referência para a classificação das áreas de Abastecimento e Refino (“Downstream”);
  • Apresentação de figuras de referência para a classificação das áreas de transporte de petróleo, gás e derivados;
  • Apresentação de figuras de referência para a classificação das áreas de gás, energia e biocombustíveis;
  • Apresentação de conteúdo para placas de sinalização de segurança para áreas classificadas;
  • Total de 239 páginas.

Com a publicação desta nova Norma Petrobras N-2918 foram canceladas e substituídas as normas anteriormente existentes, as quais haviam sido também elaboradas por Grupos de Trabalho da SC 06 da CONTEC (Eletricidade) desde a década de 1980, tais como N-2154 (Classificação de Áreas para Instalações Elétricas em Regiões de Perfuração e Produção), N-2155 (Lista de Dados para Classificação de Áreas), N-2166 (Classificação de Áreas para Instalações Elétricas em Refinarias de Petróleo) e N-2167 (Classificação de Áreas para Instalações Elétricas em Unidades de Transporte de Petróleo, Gás e Derivados) e N-2706 (Apresentação do Plano de Classificação de Áreas).

A Norma Petrobras N-2918 é considerada uma Norma “Pública” e, portanto estará disponível para acesso público na página da Petrobras na Internet, no seguinte endereço: http://bit.ly/2mmcCnw

  • 21 de fevereiro de 2017

Novos requisitos para instalações elétricas marítimas em área “Ex”

Guindastes portuáriosPor Roberval Bulgarelli
Consultor técnico e engenheiro sênior da Petrobras. É representante do Brasil no TC-31 da IEC e no IECEx e coordenador do Subcomitê SC-31 do Comitê Brasileiro de Eletricidade (Cobei). Condecorado pela IEC com o Prêmio IEC 1906 Award.

Prezados colegas envolvidos com instalações elétricas, de instrumentação, de automação ou de telecomunicações em atmosferas explosivas.

Foi publicada pela ABNT em 01/02/2017  a segunda edição da Norma Técnica Brasileira ABNT NBR IEC 61892-7 – Unidades marítimas fixas e móveis – Instalações elétricas – Parte 7: Áreas classificadas.

As Normas da Série ABNT NBR IEC 61892 representam uma “família” de Normas Técnicas Brasileiras destinadas a garantir a segurança no projeto, instalação, manutenção e utilização de equipamentos elétricos para a geração, armazenamento, distribuição e utilização de energia elétrica para todas as finalidades em instalações marítimas que são utilizadas para a exploração ou produção de petróleo.

A Série de Normas ABNT NBR IEC 61892, sob o título geral “Unidades marítimas fixas e móveis – Instalações elétricas” é prevista para ser formada pelas seguintes partes:

·  Parte 1: Requisitos e condições gerais (última edição publicada pela ABNT em 2016);
·  Parte 2: Projeto de sistemas elétricos (última edição publicada pela ABNT em 2013);
·  Parte 3: Equipamentos (última edição publicada pela ABNT em 2013);
·  Parte 4: Cabos (em planejamento de elaboração pela Comissão de Estudo CE 003:018.01 do Cobei);
·  Parte 5: Unidades móveis (primeira edição a ser publicada pela ABNT em 2017);
·  Parte 6: Instalação (última edição publicada pela ABNT em 2014);
·  Parte 7: Áreas classificadas (última edição publicada pela ABNT em 2017).
O objetivo final da Série ABNT NBR IEC 61892 é o de produzir um conjunto de normas técnicas brasileiras sobre eletricidade destinado exclusivamente à indústria marítima de petróleo.

A Série ABNT NBR IEC 61892 também incorpora e coordena, dentro do possível, regulamentações existentes e forma um código de interpretação, onde aplicável, dos requisitos da International Maritime Organization (IMO). 

Esta Série de Normas ABNT NBR IEC 61892 também constitui um guia para futuros regulamentos nacionais que possam ser elaborados e um código de práticas de proprietários e de fabricantes de unidades marítimas e de outras organizações envolvidas nesta área.

Esta Norma ABNT NBR IEC 61892-7 estabelece requisitos para a elaboração de uma classificação de áreas e seleção de equipamentos “Ex” para utilização nestas áreas classificadas em unidades marítimas fixas e móveis, incluindo tubulações, estações de bombeamento, estações de lançamento ou recebimento de pigs, estações de compressão e monoboias de ancoragem utilizadas na indústria marítima de petróleo, com a finalidade de perfuração, produção, processamento e armazenamento. 

Dentre as principais modificações técnicas que foram incluídas nesta nova Edição 2.0 da Norma ABNT NBR IEC 61892  em relação à edição anterior, publicada em 2012, podem ser destacadas as seguintes:
·  Os requisitos de instalações elétricas em atmosferas explosivas de unidades marítimas foram reescritos, tendo como base a Norma Técnica Brasileira ABNT NBR IEC 60079-14 / Edição 2016;

·  Introdução dos conceitos de EPL (Equipment Protection Level) para a seleção dos níveis de proteção de equipamentos proporcionados pelos equipamentos “Ex”;

·  Incluídos requisitos de competências pessoais dos profissionais envolvido com as atividades de projeto, seleção, instalação, testes, inspeção e reparos de equipamentos e instalações elétricas marítimas em áreas classificadas, tendo como base sistemas de certificação de pessoas, tais como as Unidades de Competências “Ex” (Ex 000 a Ex 010) especificadas no Documento Operacional IECEx OD 504 – Especificações para a avaliação dos resultados das unidades de competência;

·  Incluído novo Anexo sobre a introdução de um método alternativo de avaliação de risco incluindo os “níveis de proteção de equipamentos” (EPL) para equipamentos “Ex”, de forma similar às diversas partes da Série ABNT NBR IEC 60079 (Atmosferas explosivas);

·  Incluído novo Anexo apresentando uma padronização de placas de sinalização de segurança de áreas classificadas.
Nesta nova edição da ABNT NBR IEC 61892-7 foi utilizada como o documento de referência a Norma Técnica Brasileira ABNT NBR IEC 60079-14:2016 (Projeto, montagem e inspeção inicial de instalações elétricas em atmosferas explosivas), com o objetivo de alinhamento e harmonização dos requisitos de projeto e montagem das instalações elétricas em atmosferas explosivas terrestres e marítimas. Requisitos complementares foram incluídos nesta Edição 2.0 da Norma ABNT NBR IEC 61892-7, em relação aos requisitos apresentados na ABNT NBR IEC 60079-14, de forma a atender às particularidades específicas de instalações marítimas “Ex”.

A Comissão de Estudo CE 03:018.01 do Cobei, responsável pelo acompanhamento do desenvolvimento da respectiva Norma internacional IEC 61892-7, participou, em nome do Brazil National Committee for IEC (Cobei), de todo o processo de atualização, comentários, votação e aprovação daquela Norma, no âmbito do TC-18 (Electrical installations of ships and of mobile and fixed offshore units), do qual o Brasil é membro do tipo “P” (Participante), juntamente com a Alemanha, Estados Unidos, Noruega, Holanda, França, Rússia, Reino Unido, Itália, Japão, China, Dinamarca, Finlândia, Coreia do Sul, Romênia, Sérvia, Cazaquistão e Espanha.

As Normas Técnicas internacionais da Série IEC 61892 são adotadas pela ABNT na forma de Normas Técnicas Brasileiras equivalentes da Série ABNT NBR IEC 61892, sem desvios técnicos nacionais, em termos de conteúdo técnico, forma e apresentação em relação às respectivas normas internacionais da Série IEC 61892

Isto se deve ao fato de que que tais normas internacionais passam pelo processo de avaliação e análise pela Comissão de Estudo CE 003:018.01 do COBEI, tendo previamente discutidas, comentadas e aprovadas, incorporando os comentários aplicáveis feitos tanto pelo Brasil como pelos demais países participantes do TC 18 da IEC.

Ações como estas contribuem para a integração dos estaleiros, fabricantes de equipamentos “Ex’, laboratórios de ensaios, usuários de instalações elétricas marítimas e organismos de certificação de produtos brasileiros com o mercado e a comunidade “Ex” internacional, bem como para a elevação dos níveis de tecnologia e segurança dos produtos e das instalações elétricas marítimas nacionais.

Com esta nova Edição 2017 da ABNT NBR IEC 61892-7, esta Norma Técnica Brasileira encontra-se novamente no mesmo nível de atualização e equivalência, em termos de requisitos técnicos, de qualidade, de segurança e de gestão, àqueles praticados internacionalmente por todos os países do mundo que adotam as normas da IEC como base para a sua normalização nacional, tal como o Brasil.

Maiores informações sobre esta Norma Técnica Brasileira estão disponíveis no website ABNT Catálogo:
http://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=366648

  • 25 de janeiro de 2017

Certificado de Competências Pessoais IECEx emitido para profissional “Ex” do Brasil

Certificado

 

Por Roberval Bulgarelli
Consultor técnico e engenheiro sênior da Petrobras. É representante do Brasil no TC-31 da IEC e no IECEx e coordenador do Subcomitê SC-31 do Comitê Brasileiro de Eletricidade (Cobei). Condecorado pela IEC com o Prêmio IEC 1906 Award.

Prezados colegas envolvidos com instalações em atmosferas explosivas.

Foi emitido em 21/12/2016, dentro do sistema IECEx, o segundo Certificado internacional de Competências Pessoais em atmosferas explosivas emitido para um profissional do Brasil. O Certificado para as Unidades de Competências Pessoais Ex 000 e Ex 001 foi emitido para o Sr. José Nildo Frölich, que trabalha atualmente no Consórcio Technip / Techint – Unidade Offshore.

Para este processo de certificação internacional IECEx os exames foram realizados no Brasil, em português. A existência deste tipo de sistema internacional de certificação de competências pessoais “Ex” no Brasil, torna disponível e acessível, para os profissionais brasileiros, a possibilidade de obtenção de certificados de competências pessoais em atmosferas explosivas no Brasil, sem a necessidade de se deslocar para outros países ou de efetuar os exames em outras línguas.

A validade da certificação de competências pessoais é de 5 anos. Após este período a pessoa certificada necessita evidenciar que continua “competente” nas Unidades certificadas, apresentando evidências de que se manteve neste período atuando na área das atividades “Ex” certificadas, bem como atualizada em relação a eventuais novas edições das normas técnicas “Ex” aplicáveis.

Este certificado de conformidade de competências pessoas “Ex” foi emitido pela UL do Brasil, que um Organismo de Certificação de Competências pessoais acreditado no sistema IECEx (ExCB) desde 27/04/2016..

A UL do Brasil é um Organismo de Certificação de Competências Pessoais “Ex” brasileiro acreditado pelo IECEx desde 04/2016, nas Unidades de Certificação Ex 000 (Conhecimentos e percepções básicas para adentrar em uma instalação contendo áreas classificadas) e Ex 001 (Aplicação dos princípios básicos de segurança em atmosferas explosivas).

A UL do Brasil é também um Organismo de Certificação de equipamentos “Ex” acreditado pelo IECEx desde 07/2016. A UL dos Estados Unidos é também um Organismo de Certificação acreditado no IECEx no sistema de empresas de prestação de serviços “Ex”, tendo certificado diversas oficinas de serviços de reparo, revisão e recuperação de motores elétricos “Ex” em Singapura, de acordo com os requisitos da Norma IEC 60079-19.

O escopo inicial de acreditação da UL do Brasil abrange as Unidades de Competências Pessoais Ex 000 e Ex 001. No entanto, de acordo com a UL do Brasil estão sendo tomadas as ações necessárias para que sejam em breve incluídas neste escopo de acreditação as demais Unidades de Competências Pessoais Ex 002 a Ex 010.

O IECEx é o sistema de certificação internacional da IEC para a segurança ao longo do ciclo total de vida das instalações elétricas e mecânicas em atmosferas explosivas. O IECEx conta com a participação de 33 países. O Brasil é um país membro do IECEx desde 2009, tendo participado ativamente desde então no processo de elaboração e de aperfeiçoamento dos sistemas de certificação de competências pessoais “Ex”, de empresas de prestação de serviços “Ex” e de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”.

A existência de sistemas de certificação “Ex” elaborados pelo IECEx, totalmente com base nas normas internacionais IEC 60079 e ISO/IEC 80079, abrangendo o ciclo total de vida das instalações industriais contendo atmosferas explosivas, incluindo a certificação de empresas de prestação de serviços, de competências pessoais “Ex” e de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex”, servem para preencher uma grande “lacuna” existente no processo de certificação “Ex” de muitos países.

No Brasil, por exemplo, a legislação nacional específica publicada pelo Inmetro sobre certificação “Ex” se encontra limitada, ao longo dos últimos 25 anos, somente na certificação de equipamentos elétricos para atmosferas explosivas.

Sob o ponto de vista de segurança industrial, levando em consideração a grande quantidade de não conformidades que são verificadas nas inspeções das instalações “Ex” existentes, bem como os graves acidentes e explosões que ocorrem neste tipo de instalações, decorrentes destas não conformidades, pode ser verificado que somente a certificação dos equipamentos “Ex” não é suficiente para garantir a segurança das instalações em atmosferas explosivas, nem das pessoas que nelas trabalham.

Para a elevação dos níveis de conformidade normativa e de segurança industrial das instalações “Ex”, ao longo do ciclo total de vida das instalações “Ex”, existe também a necessidade da certificação prioritária das empresas de prestação de serviços “Ex” (incluindo classificação de áreas, projeto, montagem, inspeção, comissionamento, manutenção e reparos de equipamentos e instalações “Ex”), bem como da certificação prioritária das competências pessoais “Ex” dos profissionais que executam tais atividades.

Para que estes níveis de segurança possam ser elevados há a necessidade de uma nova postura com relação a este problema, com a adoção de um ponto de vista de certificação que não fique limitado somente à certificação dos equipamentos “Ex”, mas incluindo também a certificação das pessoas e das empresas de prestação de serviços em áreas classificadas.

Desde o lançamento do sistema internacional de certificação de competências pessoais “Ex” do IECEx em 2010 até o presente momento já foram certificadas mais de 1.370 pessoas de 37 países.

As certificações de competências pessoais do Sistema IECEx abrangem as seguintes Unidades de Competências pessoais “Ex” definidas no Documento Operacional IECEx OD 504 – Especificações para a avaliação dos resultados das unidades de competência.

· Unidade Ex 000: Conhecimentos e percepções básicas para adentrar em uma instalação contendo áreas classificadas
· Unidade Ex 001: Aplicação dos princípios básicos de segurança em atmosferas explosivas
· Unidade Ex 002: Execução de classificação de áreas
· Unidade Ex 003: Instalação de equipamentos com tipos de proteção “Ex” e respectivos sistemas de fiação
· Unidade Ex 004: Manutenção de equipamentos em atmosferas explosivas
· Unidade Ex 005: Reparo e revisão de equipamentos com tipos de proteção “Ex”
· Unidade Ex 006: Testes de equipamentos e instalações elétricas em, ou associadas a atmosferas explosivas
· Unidade Ex 007: Execução de inspeções visuais e apuradas de equipamentos e instalações em, ou associadas a atmosferas explosivas
· Unidade Ex 008: Execução de inspeções detalhadas de equipamentos ou instalações elétricas em, ou associadas a atmosferas explosivas
· Unidade Ex 009: Projeto de instalações elétricas em, ou associadas a atmosferas explosivas
· Unidade Ex 010: Execução de auditorias ou de avaliação das instalações elétricas em, ou associadas a atmosferas explosivas

Estas Unidades de Competências “Ex” detalham, para cada atividade em áreas classificadas, os requisitos de conhecimentos, experiências, qualificações e treinamentos requeridos para o processo de certificação, bem como determinam os aspectos críticos de evidências para os quais os candidatos devem ser avaliados, por meio de exames teóricos e práticos.

Podem ser citados como exemplos de pessoas que trabalham em áreas classificadas e que necessitam evidenciar os seus conhecimentos, qualificações e experiências requeridas nestas Unidades de Competências “Ex”, os profissionais envolvidos nas atividades de classificação de áreas, projeto, montagem, inspeção, manutenção, reparos, segurança, supervisão, gerenciamento, operação e outros profissionais que executam trabalhos relacionados a atmosferas explosivas.

Tais atividades incluem, entre outros, profissionais que atuam nas áreas de segurança, operação, processo, eletricidade, instrumentação, automação, telecomunicações, mecânica, suprimento, fabricantes de equipamentos e sistemas, laboratórios de ensaios, organismos de certificação de produtos e organismos de certificação de pessoas, organismos de acreditação, organismos reguladores e provedores de treinamentos.

As principais Normas Técnicas Brasileiras das Séries ABNT NBR IEC 60079 (Atmosferas explosivas) e ABNT NBR IEC 61892 (Instalações elétricas marítimas) aplicáveis para a certificação nestas Unidades de Competências “Ex” são:
· ABNT NBR IEC 60079-10-1: Classificação de áreas contendo gases inflamáveis
· ABNT NBR IEC 60079-10-2: Classificação de áreas contendo poeiras combustíveis
· ABNT NBR IEC 60079-14: Projeto, montagem e inspeção inicial de instalações “Ex”
· ABNT NBR IEC 60079-17: Inspeção e manutenção de instalações “Ex”
· ABNT NBR IEC 60079-19: Reparo, revisão e recuperação de equipamentos “Ex”
· ABNT NBR IEC 61892-7: Instalações elétricas em unidades marítimas – Áreas classificadas

Devem ser destacadas e esclarecidas as diferenças e as interfaces que existem entre as Unidades de Competências Ex 001 a Ex 010 e as funções de trabalho das pessoas que possuam tais competências. As certificações de acordo com as Unidades de Competências Ex não definem a função de uma pessoa, mas somente as atividades para as quais a pessoa demonstrou ser competente.

A definição do escopo das funções de trabalho normalmente é feita pelo empregador (ou empresa contratante dos serviços), pelo proprietário ou operador da planta. Uma definição geral do escopo das funções dos profissionais que trabalham em áreas classificadas foi também considerada nos sistemas do IECEx de certificação de empresas de prestação de serviços de projeto, montagem, inspeção e manutenção, os quais também definem os requisitos de competências pessoais dos empregados destas empresas.

Podem ser citados como exemplos das interfaces e de diferenças entre as funções de trabalho e as atividades das Unidades de Competências Ex 001 a Ex 010, os sistemas do IECEx de certificação de empresas de prestação de serviços “Ex” de projeto, instalação, montagem, inspeção, manutenção e reparo. Nos Documentos Operacionais destes Sistemas são indicados os seguintes requisitos:
· Os instaladores “Ex” devem possuir certificação nas Unidades de Competência Ex 001, Ex 003, Ex 006 e Ex 008.
· Os inspetores “Ex” devem possuir certificação nas Unidades de Competência Ex 001, Ex 004, Ex 007 e Ex 008.
· O pessoal envolvido com as atividades de manutenção “Ex” devem possuir certificação nas Unidades de Competência Ex 001 e Ex 004.
· Os projetistas “Ex” devem possuir certificação nas Unidades de Competência Ex 001 e Ex 009.
· Os reparadores “Ex” devem possuir certificação nas Unidades de Competência Ex 001 e Ex 005.
· Os auditores envolvidos com atividades de auditorias e inspeções gerenciais em instalações “Ex” devem possuir certificação na Unidade de Competências Ex 002, Ex 008, Ex 009 e Ex 010.

Sob o ponto de vista de segurança industrial, levando em consideração a grande quantidade de não conformidades que são verificadas nas inspeções das instalações “Ex” existentes, bem como os graves acidentes e explosões que ocorrem neste tipo de instalações, pode ser verificado que somente a certificação dos equipamentos “Ex” não é suficiente para garantir a segurança das instalações em atmosferas explosivas, nem das pessoas que nelas trabalham.

Para a elevação dos níveis de conformidade normativa e de segurança industrial ao longo do ciclo total de vida das instalações “Ex”, existe também a necessidade da certificação prioritária das empresas de prestação de serviços “Ex” (incluindo classificação de áreas, projeto, montagem, inspeção, comissionamento, manutenção e reparos de equipamentos e instalações “Ex”), bem como da certificação prioritária das competências pessoais “Ex” dos profissionais que executam tais atividades, nos níveis de execução ou de supervisão.

Os certificados sobre competências pessoais “Ex” já emitidos pela UL do Brasil para profissionais brasileiros estão disponíveis para acesso público no sistema “on-line” de certificação do IECEx. A pesquisa pode ser feita pela localização do candidato (Brazil) ou pelo campo ExCB (ULBR). Clique aqui.

  • 15 de janeiro de 2017

Nova norma ABNT NBR IEC TS 60079-40

Foi publicada em 01/12/2016 a nova Norma ABNT NBR IEC TS 60079-40 – Atmosferas explosivas – Parte 40: Requisitos para selagem do processo entre fluidos inflamáveis do processo e sistema elétricos.

Este documento do tipo “Especificação Técnica”, inédito na normalização técnica brasileira, apresenta requisitos específicos para a selagem entre um processo contendo uma substância inflamável e um sistema elétrico, no qual a ocorrência de uma falha poderia permitir a migração do fluído do processo diretamente para as partes do sistema de fiação.

Este documento apresenta requisitos para a avaliação da conformidade, fabricação e ensaios de equipamentos com selos simples para o processo, selosduplos para o processo e selos adicionais secundários para o processo. Os requisitos deste documento não são aplicáveis para a selagem de unidades seladoras de eletrodutos, para a selagem de prensa-cabos e outros métodos de selagem de fiação elétrica indicados em outras normas da série de Normas Técnicas Brasileiras ABNT NBR IEC 60079 – Atmosferas explosivas.

Os requisitos para a segurança elétrica básica e proteção contra a ocorrência de uma explosão, tais como os tipos de proteção “Ex” não são abordados neste documento, os quais podem ser aplicáveis aos equipamentos “Ex” que estejam sendo considerados. Os efeitos do vazamento das substâncias inflamáveis para o meio ambiente também não são abordados por este documento, os quais são levados em consideração durante a etapa de classificação de áreas.

São abordados neste novo documento os requisitos de segurança sob o ponto de vista da adequada selagem dos equipamentos elétricos e de instrumentação que são instalados em contato direto com os fluidos inflamáveis do processo, de forma assegurar que estes fluídos não irão vazar e entrar em contato com os componentes elétricos destes equipamentos “Ex”, o que poderia provocar um explosão ou uma migração destes fluidos pelo interior dos cabos que são conectados a estes equipamentos, os quais poderiam chegar até uma área não classificada.

Este documento foi inicialmente publicado na forma de uma “especificação técnica”, nesta sua primeira edição, como procedimento normal adotado pelaIEC e pela ABNT, até a próxima edição, quando será publicada como uma norma técnica, incorporando os aperfeiçoamentos e sugestões a serem recebidas no período.

Um selo do processo é um dispositivo que evita a migração do fluido do processo de seu compartimento original projetado para o sistema elétrico externo. Os equipamentos elétricos e de instrumentação com uma interface em contato direto com os fluidos de processo sob pressão necessitam incorporar umselo de processo para evitar a migração do fluido inflamável para o sistema de fiação.

Neste documento os selos primários do processo são considerados como sendo os selos do processo que estão diretamente em contato com os fluídos do processo, sob condições normais de operação. São considerados como selos secundários do processo os selos do processo que entram em contato com os fluídos do processo somente no caso de falha dos selos primários.

Neste documento os equipamentos com selo duplo do processo são considerados os equipamento que incorporam, ao longo de qualquer caminho potencial de vazamento, um selo primário do processo e um ou mais selos secundários do processo, de tal forma que é necessária a falha de um ou mais selos do processo para permitir a migração dos fluidos do processo, a partir de seus compartimentos previstos, para os componentes do sistema de fiação do equipamento “Ex”.

Neste documento os equipamentos com selo único do processo são considerados os equipamento que incorporam, ao longo de qualquer caminho potencial de vazamento, um único selo primário do processo, de tal forma que a falha do selo do processo pode permitir a migração dos fluidos do processo, a partir de seus compartimentos previstos, para os componentes do sistema de fiação do equipamento “Ex”.

Nos casos em que os equipamentos elétricos e de instrumentação possuam um única interface com o processo (através do selo do processo) em contato direto com os fluidos do processo sob pressão e o equipamento não é avaliado como possuindo selo simples ou selo duplo, medidas adicionais são requeridas para minimizar a possibilidade dos fluidos entrarem em contato com o sistema de fiação do equipamento “Ex”.

Têm sido verificado nas instalações de instrumentos “Ex” em atmosferas explosivas que pode ocorrer o vazamento das substâncias inflamáveis que estão sendo processadas para o meio externo, no caso de falhas no sistema de selagem entre o processo e os componentes do equipamento “Ex”.

Podem ser citados como exemplos de instrumentos que normalmente estão em contato com fluidos inflamáveis pressurizados do processo os instrumentos transmissores de pressão, de nível, de vazão e de temperatura, os quais são muito comuns em processos de indústrias químicas, petroquímicas e da indústria do petróleo & gás.

São verificados também, nestes casos de vazamentos, a possibilidade de migração dos gases inflamáveis pelo interior dos cabos do sistema de fiação destes instrumentos até o sistema digital de controle ou sistema instrumentado de segurança (SIS). A Norma ABNT NBR IEC 60079-14 (2016) – Projeto e montagem de instalações “Ex” especifica que os cabos utilizados em atmosferas explosivas necessitam possuir características de fabricação com isolamento compacto, sem interstícios entre os condutores que possam propiciar a propagação de gases inflamáveis pelo seu interior. No entanto sobre o ponto de vista de instalações “Ex” não é considerado adequado que falha de selos de processo mantenham os cabos continuamente sob o efeito de pressurização por tais tipos de gases.

Têm sido verificados casos de incidentes onde esta migração de gases é encaminhada até o interior dos painéis de rearranjo ou painéis de controle instalados dentro das Casas de Controle de instalações terrestres (refinarias ou plantas petroquímicas) ou Módulos de Instrumentação em instalações marítimas (FPSO ou Plataformas Offshore de produção). Estes locais, considerados áreas não classificadas, possuem equipamentos elétricos e eletrônicos “comuns”, sem nenhum tipo de proteção “Ex”, fazendo com que possam representar fontes de ignição para a atmosfera explosiva presente, decorrente do indevido vazamento dos instrumentos de campo e de migração pelos cabos.

É previsto que os requisitos desta nova norma técnica terão uma abrangência muito grande nas características de projeto, dimensionamento e ensaios dos equipamentos “Ex” que podem ficar submetidos ao contato direto com as substâncias inflamáveis do processo, tais como instrumentos sensores e transmissores.

Sob o ponto de vista normativo no Brasil, a Comissão de Estudo CE 003:031.02 do Subcomitê SC-31 do COBEI, responsável pela elaboração e atualização desta Norma Técnica Brasileira adotada, acompanhou o processo de elaboração, comentários, votação e aprovação da respectiva Norma internacional IEC TS 60079-40. Esta CE contou com a participação de profissionais envolvidos com equipamentos e instalações elétricas industriais, representantes das seguintes empresas: CONAUT, DNV GL, EATON/CROUSE-HINDS/BLINDA, MELFEX, MRP, PETROBRAS e WEG.

As Normas Técnicas Brasileiras adotadas da Série NBR IEC 60079 elaboradas pelas Comissões de Estudo do Subcomitê SC-31 do Cobei e publicadas pela ABNT são idênticassem desvios técnicos nacionais em relação às respectivas normas internacionais da IEC. Seguindo a tendência e aconvergência normativa mundial dos países membros da IEC, incluindo o Brasil, as Normas Técnicas nacionais que envolvem os processos de avaliação da conformidade de empresas de prestação de serviços “Ex”, de competências pessoais “Ex” e de equipamentos elétricos e mecânicos “Ex” são Normas adotadas, equivalentes às respectivas normas internacionais da IEC.

Esta política de normalização tem por objetivo harmonizar as Normas Nacionais com a Normalização internacional, de forma a padronizar os procedimentos de projeto, fabricação, ensaios, marcação, avaliação da conformidade, instalação, inspeção, manutenção, reparos, recuperação de equipamentos e competências pessoais “Ex”.

Ações como estas contribuem para a integração dos fabricantes, laboratórios de ensaios, empresas usuárias, organismos de certificação de produtos e de pessoas e provedores de treinamentos brasileiros com o mercado e a comunidade internacional “Ex”, bem como para a elevação dos níveis de segurança, saúde, meio ambiente, avaliação de risco, ensaios, qualidade, desempenho, confiabilidade, procedimentos de execução de serviços e competências pessoais relacionados com as instalações nacionais “Ex”.

Sob o ponto de vista de certificação de equipamentos “Ex”, o IECEx elaborou a “Folha de Decisão” (Decision SheetExTAG DS 2015/019 contendo orientações a serem seguidas de forma padronizada pelos Organismos de Certificação durante o processo de avaliação e ensaios de equipamentos “Ex” contendo selos com o processo.
http://www.iecex.com/docs/ExTAG_DS_2015_019_TS_60079-40.doc

Já foram emitidos, no âmbito do IECEx, certificados de conformidade de equipamentos “Ex” que evidenciaram o atendimento dos requisitos da Norma IEC TS 60079-40. Estes certificados de conformidade estão disponíveis para consulta pública no sistema de certificação “on-line” do IECEx, podendo ser encontrados por meio de pesquisa pela palavra-chave 60079-40.
http://bit.ly/2jdNITG

Os dados resumidos desta Norma são apresentados no Website ABNT CATÁLOGO:
http://bit.ly/2j0j8z3

 

  • 11 de janeiro de 2017

Novo livro Atmosferas Explosivas – José da Silva

Livro Atmosferas Explosivas

Lançamento do Livro Atmosferas Explosivas 2ª Edição – José da Silva

A seleção dos equipamentos elétricos, a instalação, bem como a inspeção e manutenção nas áreas com presença de atmosferas explosivas são requisitos fundamentais para garantir a segurança dos locais e dos trabalhadores. Sendo assim, essa obra apresenta uma grande contribuição para o setor de engenharia elétrica, podendo ser recomendada também para estudantes e pesquisadores que tenham interesse no assunto. Utilizando uma linguagem simples e direta o autor apresenta informações relevantes que auxiliam para identificar uma área com presença de atmosferas explosivas, o livro expõe também detalhes importantes sobre a montagem de equipamentos elétricos, para evitar que eles se tornem uma fonte de ignição.

Na segunda edição revisada e ampliada, foram acrescentados requisitos e informações sobre o sistema de segurança IECEx, detalhes sobre a certificação de pessoas, bem como informações sobre as atividades contendo poeiras combustíveis, encontradas em diversas atividades, incluindo silos de armazenamento de grãos, indústria de ração para animais, indústria alimentícia, fábricas de fertilizantes, entre outras atividades. A obra apresenta também informações e detalhes sobre o sistema de inspeção e manutenção de equipamentos elétricos em áreas classificadas, conforme os requisitos da norma ABNT NBR IEC 60079-17.

Tive o prazer de estar presente ao lançamento deste novo livro e desejar sucesso ao nosso colega e amigo José da Silva. Recomendo para quem trabalha ou deseja trabalhar na área e para quem estuda ou pesquisa.

Para adquirir o livro clique aqui: Atmosferas Explosivas 2ª Edição

  • 10 de janeiro de 2017

Cursos sobre instalação e manutenção de equipamentos elétricos Ex

Prezados colegas e pessoas envolvidos com instalações elétricas e de instrumentação em atmosferas explosivas, encontram-se abertas no Senai/Santos as inscrições para novos cursos sobre instalação e manutenção de equipamentos elétricos em atmosferas explosivas.

Os cursos possuem uma carga horária total de 60 horas, entre atividades teóricas e práticas. As aulas para a próxima turma serão iniciadas em23/01/2017, com término em 02/03/2017. As aulas são realizadas entre as 19:00 e 22:00, entre segunda e quinta feira.

O laboratório de instalações “Ex” do Senai/Santos conta com oito “baias”, para treinamentos com atividades teóricas e práticas, onde encontram-se instalados diversos equipamentos elétricos e de instrumentação, com diversos tipos de proteção “Ex”, adequados para locais contendo atmosferas explosivas de gases inflamáveis ou de poeiras combustíveis.

Dentre os tipos de proteção “Ex” existentes neste Laboratório de Instalações “Ex” podem ser destacados os equipamentos com segurança aumentada (Ex “e”), barreiras de proteção e instrumentos intrinsecamente seguros (Ex “i”), invólucros pressurizados (Ex “p”), equipamentos não centelhantes com respiração restrita (Ex “nR”), equipamentos com proteção por temperatura de invólucro para poeiras combustíveis (Ex “t”) e componentes centelhantes encapsulados em invólucros plásticos à prova de explosão com terminais de segurança aumentada (proteção combinada Ex “de”).

Dentre os tipos de equipamentos “Ex” que se encontram instalados podem ser destacados: instrumentos sensores, transmissores e atuadores, painéis de distribuição de circuitos de força, luminárias, caixas de junção, tomadas industriais, motores de indução trifásicos “Ex”.

Os equipamentos “Ex” são montados neste Laboratório de Instalações “Ex” com métodos de instalação por sistemas de bandejamento e de eletrodutos, abrangendo as instalações típicas encontradas em áreas classificadas terrestres e marítimas. A montagem dos equipamentos “Ex” inclui métodos de entradas diretas de cabos nos invólucros “Ex” (por meio de prensa-cabos Ex “d” e de unidades seladoras Ex “d”) e métodos de entradas indiretas (com caixa de terminais Ex “e” e buchas de selagem Ex “d” selada de fábrica).

O Laboratório de instalações “Ex” do Senai/Santos possui ainda um sistema de automação de todos os circuitos de força e controle existentes, bem como com um sistema supervisório, com base em PLC e IHM (Interfaces Homem/Máquina).

Este Laboratório “Ex” conta também com procedimentos para a detecção de gás e para a emissão de Permissões de Trabalho, incluindo as atividades de desligamento, bloqueio, verificação de ausência de tensão, sinalização a liberação de circuitos de força. Faz parte dos objetivos deste Laboratório de Instalações “Ex” proporcionar aos treinandos um aprendizado e uma ambientação em um local de trabalho “Ex”, típico de instalações industriais contendo áreas classificadas.

Estes Cursos “Ex” se destinam a qualificar profissionais para atuar nas indústrias de Petróleo & Gás, Química & Petroquímica, Açúcar & Álcool, instalações portuárias e empresas de prestação de serviços “Ex” (projeto, montagem, inspeção, manutenção e oficinas de reparos de equipamentos e instalações em atmosferas explosivas). Este tipo de qualificação é um pré-requisito para a posterior certificação das competências pessoais “Ex” dos profissionais que trabalham em áreas classificadas.

Estes Cursos “Ex” tem como foco principal as atividades de instalação e manutenção de equipamentos elétricos e de instrumentação “Ex”, com base nos requisitos das Normas Técnicas ABNT NBR IEC 60079-14 (Montagem e inspeção inicial de instalações “Ex”) e ABNT NBR IEC 60079-17 (Inspeção e manutenção de instalações “Ex”).

Faz parte do conteúdo dos Cursos “Ex” do Senai/Santos os seguintes tópicos:

  • Propriedades das substâncias inflamáveis e procedimentos de medição de explosividade em ambientes industriais
  • Medidas preventivas para reduzir o risco de explosão de gases inflamáveis e poeiras combustíveis
  • Conceitos básicos sobre procedimentos de segurança, saúde ocupacional e meio ambiente em instalações industriais contendo áreas classificadas
  • Conceitos básicos de classificação de áreas contendo gases inflamáveis ou poeiras combustíveis
  • Orientação para emissão de Permissão de Trabalho seguro em áreas classificadas livres de gás
  • Conceitos básicos de tipos de proteção “Ex” de equipamentos para atmosferas explosivas, incluindo Ex “nAR“, Ex “e”, Ex “i”, Ex “p”, Ex “de” e Ex “t”
  • Requisitos de seleção e instalação de equipamentos “Ex” de acordo com a Norma NBR IEC 60079-14
  • Seleção de equipamentos “Ex” de acordo com os requisitos de Zona de classificação de áreas do local de instalação, EPL, Grupo do equipamento para gases e poeiras e classe de temperatura ou temperatura de ignição;
  • Sistemas de fiação: cabos para instalação fixa, cabos de alimentação de equipamentos transportáveis e portáteis, cabos, flexíveis, prevenção, de danos, temperatura de superfície do cabo, conexão de cabos aos equipamentos “Ex”, multicabos; sistemas de fiação por eletrodutos;
  • Requisitos de instalação equipamentos “Ex” com tipos de proteção Ex “e”, Ex “n”, Ex “i”, Ex “p”, Ex “d” e Ex “t”
  • Tipos de entradas de cabos em invólucros “Ex”: Entradas indiretas e diretas, prensa-cabos “Ex” e unidades seladoras Ex “d”
  • Requisitos de manutenção de equipamentos em atmosferas explosivas de acordo com as influências externas e as condições ambientais
  • Requisitos de inspeção e manutenção de equipamentos e instalações “Ex” de acordo com a Norma NBR IEC 60079-17
  • Requisitos de manutenção de equipamentos com tipos de proteção Ex “nAR“, Ex “e”, Ex “i”, Ex “p”, Ex “de” e Ex “t”
  • Documentação requerida para serviços de montagem, inspeção e manutenção de equipamentos e instalações elétricas “Ex”

Os treinamentos “Ex” do Senai/Santos possuem um conteúdo programático alinhado com os requisitos das seguintes Unidades de Competências “Ex”, indicadas no Documento Operacional IECEx OD 504:

  • Ex 001: Aplicação dos princípios básicos de proteção em atmosferas explosivas
  • Ex 003: Instalação de equipamentos com tipos de proteção “Ex” e respectivos sistemas de fiação
  • Ex 004: Manutenção de equipamentos em atmosferas explosivas

De acordo com os professores responsáveis por estes cursos sobre atmosferas explosivas do SENAI/Santos, existe também a possibilidade de elaboração de cursos para outras Unidades de Competências pessoais “Ex”, customizadas para as necessidades específicas das empresas de prestação de serviços “Ex” ou das empresas usuárias de equipamentos e instalações “Ex”.

Maiores informações sobre os cursos “Ex” do Senai/Santos, podem ser encontradas em: http://bit.ly/2i8WO7k 

  • 7 de dezembro de 2016

Sinais de Advertência Família D1x de Classe I & II divisão 1 e sinais de E2S

Sinais de Advertência D1x

A família “D1x” de Classe I & II divisão 1 sinais de E2S, com certificados UL e cUL oferece alerta áudio-visual de alto desempenho nos ambiente mais perigosos.

As sirenes de alarme D1xS são adequadas para o uso como alarme de incêndio modo público e também aprovadas para aplicações a Zona 1 e Zona 20. Com os níveis de saída de som até 116db (a), as sirenes contêm 64 diferentes padrões de tom de alarme e quatro estágios/canais remotamente selecionáveis que permitem várias notificações a partir de um único dispositivo.

As sirenes de alarme D1xC combinadas e Xenon beacons são igualmente aprovadas para uso de alarme de incêndio como de sirene de modo público. E a luz Xenon como modo privado.

Empregando gabinetes fabricados a partir de alumínio de grau marine LM6 os alarmes sonoros podem ser configurados com uma sirene tradicionalmente ampliada ou uma sirene radial omnidirecional.

O componente farol Xenon está disponível em 5 ou 1p variantes de Joule.

A família “D2x” de sirenes de alarme compactos e a combinação de sirenes com luzes de Xenon oferecem um dispositivo de designers de sistema certificado mundialmente: NEC / CEC CI D2 e CII D2; NEC CI Zona 2 e Zona 22; CEC Zona 2 & 22 e CII D2, ATEX, Zona IECEx 2 & 22. Possuem também certificados UL e cUL para uso de alarme de incêndio como sirene de modo público. E a luz Xenon como modo privado.

As sirenes D2x contêm a tecnologia avançada destaque na Classe I Div 1 D1 família, mas em uma ultra-compacta 11×6 fase.

Para os designers de sistemas de proteção contra incêndios industriais, os novos alto-falantes ML15 e ML25, certificados UL e cUL, são aprovados para alarme de incêndio e emergência  e de uso profissional e comercial nos EUA e no Canadá. Disponível em versões 15W e 25W de alto-falantes de linha 70v uso leve, de alto impacto ABS, Tipo 4/4X caixas e acessórios de aço inoxidável para fornecer uma solução robusta para sistemas de ambientes adversos.

Para mais informações, orçamento e instruções de uso e conhecer nossos outros produtos entre em contato que teremos o prazer em fazer negócios com você.

Av. Francisco Matarazzo, 1752, conjunto 1907
05001-200 – Água Branca – São Paulo/SP
Fones: 55 (11) 3862-5690 | 55 (11) 3672-0506
Email: atendimento@vextrom.com.br

  • 30 de novembro de 2016

Sinais de Advertência Família D1x de sirenes de alarme, alto falante PA/Xenon

 

Sinais de Advertência

A partir do seu extenso portfólio de produtos selecionados e certificados mundialmente e também indicados para atmosferas perigosas, a Vextrom apresenta duas principais novas famílias inclusive os novos faróis de xénon GRP para atmosferas perigosas.

A nova família D1x de sirenes de alarme, alto falantes PA e /Xenon unidades strobe baliza sirene de alarme combinados, foi concebida para fornecer os sinais de alerta mais eficazes disponíveis para o uso na Classe I/II Divisão 1, Zona 1 e Zona 20 atmosferas.

Com robustas caixas marinhas de alumínio de grau LM6, os UL/cULs alarmes empregam comprovadamente a mais recente tecnologia eletrônica e de engenharia acústica.

Os quatro estágios, 64 tons de sirenes de alarme e unidades combinadas estão disponíveis com alargamento direcional ou 360° de sirenes radiais de dispersão do som.

Temos também o novo premium STEx familiar a 316L dispositivo de aço inoxidável para a prova de explosão pela IECEx  e ATEX de acordo com normas de aprovação. A STEx  sirene proporciona alto desempenho de saídas sonoras e visuais com uma ótima combinação de força e resistência à corrosão para uso em ambientes mais severos.

O novo GNEx GRP Xenon strobe beacons,  (link para o produto) adiciona sinalização visual à prova de explosão e de corrosão da família GNEx resistentes sirenes de alarme, alto falantes PA e botões de alarme manual para ativação de alarmes de incêndio, detecção de gás e sistemas de paragem de emergência. Todos adequados para Zona 1, 2, 21 e 22 aplicações em áreas classificadas beacons o GNEX estenderam faixa de temperatura com IECEx e ATEX.

Para aplicações com altos níveis de luz ambiente a baliza GNExB2 está disponível em 10, 15 e 21 voltagens variantes, produz até 902cd – uma saída muito alta Xenon strobe.

O GNExB1, uma versão em tamanho mais compacto, é um Joule Xnon beacon 5 strobe em um gabinete leve.

Complementando a família, a caixa de junção GNExJ2 Ex, que, tendo múltiplas entradas de cabos e configurações do terminal é adequado para muitas aplicações diferentes. Todas GNEx beacons podem ser fornecidas como conjuntos de placas configurantes montadas com e sem uma sirene de alarme ou caixa de junção.

Para mais informações, orçamento e instruções de uso e conhecer nossos outros produtos entre em contato que teremos o prazer em fazer negócios com você.

Av. Francisco Matarazzo, 1752, conjunto 1907
05001-200 – Água Branca – São Paulo/SP
Fones: 55 (11) 3862-5690 | 55 (11) 3672-0506
Email: atendimento@vextrom.com.br